Avanço da hidrovia Paraguai-Paraná acelera desmatamento e pode decretar o fim do Pantanal

O progresso da hidrovia Paraguai-Paraná pode decretar o fim do Pantanal. É o que alertam os cientistas no artigo publicado na revista Science of The Total Environment, na edição que será lançada em janeiro de 2024. O estudo revela que o ressurgimento do projeto de navegação conhecido como Hidrovia Paraguai-Paraná ameaça a integridade de todo o bioma.

No artigo, assinado por 42 cientistas brasileiros e estrangeiros, especialistas denunciam que o avanço da hidrovia pode acarretar danos irreparáveis ao Pantanal. Atualmente, a hidrovia tem operação concentrada na Argentina, mas há estudos para a operação em território brasileiro. O projeto prevê o aprofundamento de 700 km do canal natural do  em seu trecho superior, no entanto, isso resultaria em níveis mais baixos de água e na redução do ecossistema da planície de inundação.

O Rio Paraguai que flui através do Pantanal é a última grande paisagem fluvial da América do Sul que ainda possui uma estrutura quase natural. Por isso, esse aprofundamento afetaria regiões de alto valor ecológico, incluindo parques, terras indígenas e outras áreas protegidas, reconhecidas como patrimônios mundiais e reservas da biosfera pelas Nações Unidas.

“A sua existência depende do regime natural de fluxo, que proporciona um padrão natural de cheias e secas numa vasta área”, defendem os cientistas no artigo.

Botão Voltar ao topo