Manifestantes se reúnem com representantes do Incra e Ministério da Agricultura

Nesta manhã de segunda-feira (23), representantes do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário e  Familiar) e do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) se encontraram com membros do MPL (Movimento Popular da Luta) que estavam protestando na BR-163, em Campo Grande. Após uma manhã de bloqueios e congestionamentos, os manifestantes decidiram liberar o trânsito nas duas rodovias federais do Estado.

Segundo Claudia Maria Tadico, ouvidora agrária nacional do MDA, as principais reivindicações dos manifestantes incluem a regularização de dois acampamentos, um em Campo Grande e outro em .

Ela ressaltou que “o cadastramento das famílias que desejam ser beneficiadas pelo PNRA (Programa Nacional de Reforma Agrária) será realizado assim que houver recursos orçamentários suficientes.”

Além disso, a ouvidora informou que outras exigências do movimento envolvem melhorias na estrutura do  (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). Os manifestantes solicitam a abertura de novas vagas no órgão.

Claudia destacou que “o Governo já encaminhou a proposta orçamentária com a devida dotação do órgão, autorizou concursos para recompor o quadro de pessoal e está em diálogo com os servidores para reestruturação das carreiras.”

Outra demanda importante é a criação de uma diretoria dedicada à obtenção de terras para a reforma agrária. Segundo Claudia, “a instituição está fazendo todos os esforços possíveis que não requerem aumento do orçamento disponível em 2023 para retomar o assentamento de famílias rurais sem-terra.”

A representante do protesto, Patrícia Luz, disse “tivemos uma boa posição da ouvidora agrária nacional Dra. Cláudia e do superintendente do Incra Paulo Roberto. Vai ter um seminário esse semana no INCRA. Estamos bem esperançosos com as promessas da parte deles em solucionar nossos problemas.”

Botão Voltar ao topo