Prefeitura rompe contrato para corredor de ônibus na Avenida Calógeras

Após mais um ano de interrupção da obra do corredor de ônibus da Avenida Calógeras, a Prefeitura de Campo Grande rompeu contrato com a GTA – Projetos e Construções Ltda – ME. O projeto foi orçado em R$ 15 milhões e as máquinas começaram a trabalhar em novembro de 2021, mas foram paralisadas em novembro de 2022.

O corredor iria da Avenida Mato Grosso até a Avenida Eduardo Elias Zahran. Quando a obra parou, a empresa havia executado 20% do projeto. No ato da rescisão, a prefeitura diminui o valor do contrato em R$ 11 milhões, passando de R$ 15 milhões para R$ 4 milhões.

Na época da interrupção, a GTA Projetos e Construções pediu a rescisão e informou que parou o trabalho por atrasos nos pagamentos por parte da prefeitura. O projeto faz parte do programa Reviva Campo Grande e prevê faixas exclusivas de ônibus, instalação de ciclovias e recapeamento das vias.

Corredores – Os corredores de ônibus do lado esquerdo da via estão previstos no plano municipal de mobilidade urbana em vigor desde 2015. São 69 quilômetros de pistas exclusivas para os ônibus trafegarem entre os terminais Guaicurus, Morenão (Região Sul da cidade), General Osório e Nova Bahia (Região Norte), passando pelo Centro da cidade.

Com as pistas exclusivas, os ônibus deixam de disputar espaço no trânsito com os demais veículos e a expectativa é aumentar em até 62% a velocidade média (de 16 para 25 km/h) dos coletivos, conforme a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

A reportagem procurou a assessoria da prefeitura, que vai apurar o assunto e dará retorno com informações sobre os próximos passos diante da rescisão do contrato.

Botão Voltar ao topo