Quem apostar no crime organizado vai perder, diz Riedel

A destinação de recursos para melhorar a estrutura da segurança pública e a integração das forças estaduais e federais são determinantes para o sucesso no enfrentamento do crime organizado, disse esta manhã o governador Eduardo Riedel, ao se reunir com lideranças e agentes das polícias do Estado, de São Paulo e ainda Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, durante balanço da terceira realização da SULMaSSP, uma operação criada em março, integrando as cinco unidades da federação para atuar nas regiões de divisas e fronteiriças. “Quem apostar no crime organizado vai perder, tenho convicção disso”, sentenciou.

Conforme ele, a inclusão do Estado em ações da União previstas na GLO (Garantia da Lei e da Ordem) decretada para agir em São Paulo e Rio de Janeiro, só soma às ações da SulMaSSP e à capacidade regional de combater as organizações criminosas. O aperfeiçoamento dos trabalhos foi fruto de conhecimento da competência e capacidade das equipes, mencionou. “Não tenho dúvida nenhuma que o crime organizado vai perder”, disse.

“Eu acompanhei de perto os números, os resultados, a atuação de cada um dos senhores e senhoras, e nós estamos vivendo um momento talvez histórico na segurança pública”, ao mencionar a integração de esforços, unindo “inteligência, força, competência, equipamento, em prol do objetivo que é comum a todos nós”. As operações se desencadearam na segunda-feira, com a presença de agentes de outros estados em Mato Grosso do Sul. Antes disso, havia o planejamento com serviços de Inteligência.

O governador disse que MS estaria pronto a enviar policiais aos estados vizinhos, quando solicitados. Ele apontou as cinco unidades com as quais Mato Grosso do Sul tem divisas (MT, GO, MG, SP e PR) e mencionou também parcerias com Goiás e Mato Grosso, além dos quatro da operação desta manhã. “A gente vai estar sempre presente quando chamado, apoiando a segurança pública de qualquer Estado brasileiro”, apontando, ainda, que o sucesso da segurança pública não se restringe “a A ou B”, é uma responsabilidade “nossa”, completou.

Boa parte da fala do governador no evento, no Yotedi, foi para agradecer a presença de policiais de outros estados e os esforços dos daqui do estado, incluindo agentes das Polícias Federal e Rodoviária Estadual. Disse que acompanhou os resultados da operação, com apreensões de drogas e veículos e prisões, e que a operação termina bem, sem agentes públicos feridos, podendo retornar aos seus estados.

“Sejam, sempre, muito bem-vindos ao Mato Grosso do Sul, muito obrigado pelo trabalho, e o mais importante é que os senhores e senhoras retornem para casa em segurança, para o braço das suas famílias, depois dessa passagem por aqui, e que nós também estaremos sempre à disposição dos Estados Irmãos.”


Viaturas utilizadas na operação desencadeada essa semana foram estacionadas em frente ao local do evento, no Parque das Nações Indígenas (Foto: Paulo Francis)

Riedel fez menção especial à ministra do Orçamento e Planejamento, Simone Tebet, e o esforço dela para assegurar na distribuição dos recursos da União quantitativos para a segurança pública. “Sua visão clara de entender o Brasil como um todo, ela se reflete no planejamento do orçamento da nação brasileira e colocar a segurança pública também como prioridade no orçamento, a senhora tem feito com muita competência”, elogiou, ao destacar o esforço em fazer uma distribuição equilibrada das receitas diante das demandas de cada área.

Botão Voltar ao topo